Notebooks Dicas

Dicas para a compra de um notebook

Ter um notebook é a vontade de muita gente, afinal, esse tipo de equipamento dá mobilidade, ocupa pouco espaço físico e pode ser guardado facilmente em uma infinidade de lugares. Além disso, o mercado conta com notebooks cada vez mais baratos e com configurações para todos os gostos ou necessidades. Se você acha que chegou a hora de comprar o seu, o InfoWester apresenta a seguir 10 dicas para você escolher o notebook adequado às suas atividades. Estando atentos a elas, certamente você fará um bom negócio! Vamos lá?

1 – Memória RAM

Para a escolha da quantidade de memória RAM do seu notebook, você deve considerar o padrão atual do mercado. Por exemplo, sabe-se que para rodar o Windows 7 ou uma distribuição recente do Linux usando ambiente gráficoKDE ou Gnome, é importante ter, no mínimo, 1 GB de memória RAM. No entanto, o ideal é ter pelo menos 2 GB de memória para não prejudicar o desempenho e para rodar aplicações um pouco mais pesadas. Portanto, escolha sempre um notebook que tenha capacidade de memória equivalente ao padrão atual e que, de preferência, permita expansão no futuro (geralmente isso é possível por meio de uma tampa na parte inferior do laptop).

2 – Processador

Quanto ao processador, na maioria das vezes não é necessário escolher o mais poderoso, mas também não é recomendável escolher um modelo já bastante ultrapassado. Para tarefas básicas, é interessante optar por um processador que conte com recursos de economia de energia, como os modelos da linha Intel Pentium ULV (de Ultra Low Voltage – Voltagem Ultra Baixa) ou AMD Athlon Neo. Esses processadores geralmente são mais baratos e têm a capacidade de poupar energia quando determinados recursos não estão sendo utilizados. Além de ajudar a evitar aquecimento, essa característica faz com que a energia da bateria dure mais.

Mas, se você prefere um notebook mais potente, capaz de rodar com tranquilidade jogos e aplicações mais pesadas, considere um processador com dois ou mais núcleos, como as linhas Intel Core i3 ou AMD Athlon X2 Dual Core para notebooks. Em geral, os chips direcionados a portáteis mais poderosos também contam com funcionalidade de economia de energia. Note, no entanto, que processadores desse tipo podem elevar consideravelmente o preço do notebook. Por outro lado, podem representar um bom investimento a longo prazo, uma vez que você provavelmente demorará mais para trocar de notebook.

Se preferir, você pode consultar os sites dos fabricantes de processadores para saber quais os processadores econômicos e top de linha atuais. As principais empresas desse segmento são Intel, AMD e, com uma participação muito menor, Via Technologies.

3 – Bateria

Em telefones celulares, smartphones e principalmente em notebooks, ainda é difícil encontrar baterias que duram por um tempo considerado adequado. De qualquer forma, a escolha da tecnologia certa é capaz de acrescentar algum tempo de utilização. Atualmente, é recomendável o uso de baterias do tipo íons de lítio. Estas costumam ter carga mais duradoura, sua vida útil é maior e não acrescentam custo considerável ao notebook. Um detalhe importante: se você precisa usar seu notebook pela bateria constantemente, é recomendável adquirir um modelo de um fabricante que oferece baterias vendidas separadamente para sempre ter uma de reserva. Considere também a compra de modelos com bateria de pelo menos 6 células. Na prática, quanto mais células, mais o seu portátil permanecerá ligado longe da tomada.

Bateria de notebook
Bateria de um notebook

4 – HDs

Os HDs para notebooks são fisicamente menores do que os modelos usados em PCs. Essa característica faz com que esses dispositivos sejam, geralmente, um pouco mais caros. Por isso, a escolha de um HD com muita capacidade só deve ser considerada em caso de necessidade, para evitar um aumento expressivo de custo. Note também que você não deve escolher um modelo com pouca capacidade pensando em economizar, porque se esse HD já estiver fora de linha (ou se estiver prestes a sair de linha), seu preço pode ser apenas pouco menor que um HD de capacidade maior. Assim, prefira um HD com 320 GB em vez de um 250 GB, por exemplo. Detalhe importante: para reduzir o consumo de energia, é comum encontrar HDs para notebook mais lentos que os HDs para PCs. Enquanto um HD comum atual roda a 7.200 RPM (rotações por minuto), há HDs para notebooks que rodam à taxa de 5.400 RPM.

Para quem busca desempenho e, ao mesmo tempo, economia de energia, unidades de armazenamento SSD são uma boa opção, embora mais caras.

5 – Unidade de CD/DVD

Hoje em dia, já não é raro encontrar notebooks que não oferecem unidade de CD/DVD, principalmente no que se refere aos modelos mais compactos. Na verdade, com a popularização de pendrives (que são conectados em portas USB) e leitores de cartões de memória em laptops, o uso de CDs ou DVDs para armazenamento de dados caiu muito. Portanto, drives de CD/DVD já não são tão importantes assim. Mas para quem faz questão, vale a pena observar se a unidade não apenas lê, mas também grava CD e DVD. Você também pode considerar adquirir um notebook com drive de Blu-ray, mas como esta tecnologia ainda não é muito popular, pode encarecer o equipamento.

6 – Tela

Notebook da linha Toshiba Qosmio: tela de 17"É óbvio que quanto maior a tela (display), melhor a visualização. No entanto, quanto maior a tela, maior também é o tamanho do notebook e, em geral, o consumo de energia. Por essa razão, a escolha do tamanho da tela deve estar de acordo com suas necessidades. Se você quer um notebook para utilizar em casa para economizar espaço, uma tela grande é recomendável – para isso, você pode usar notebooks com tela de 15 ou mesmo 17 polegadas, por exemplo (estes são grandalhões!). Por outro lado, se você pretende transportar o notebook para vários lugares (por exemplo, nas visitas aos seus clientes), uma tela menor (de 13 polegadas, por exemplo) ajuda a diminuir o espaço que o portátil ocupa na bolsa ou na mala. Você também pode optar por notebooks com telas widescreen(que são cada vez mais comuns). Estas são mais largas horizontalmente e podem ser úteis em diversas aplicações, com nas visualizações de filmes ou de planilhas.

7 – Chip gráfico

Talvez você não vá rodar jogos em seu notebook, mas provavelmente vai querer assistir vídeos nele – por exemplo, durante uma viagem de avião. Parar rodar vídeos ou até mesmo alguns jogos, é recomendável escolher um notebook com um bom chip gráfico. Neste caso, é importante verificar se a memória da placa de vídeo (VRAM) é exclusiva – UMA (Universal Memory Architecture) – ou se é compartilhada da memória RAM principal – SMA (Shared Memory Architecture). Se escolher uma compartilhada, que seja em um notebook com pelo menos 2 GB de memória RAM. Se optar por aparelhos com VRAM exclusiva, é recomendável que esta tenha ao menos 64 MB de capacidade.

8 – Dispositivo para cursor

Eis outro detalhe importante: que tipo de tecnologia usar como substituto do mouse? O touchpad é um tipo de dispositivo onde o usuário movimenta o cursor na tela passando seus dedos em um pequeno painel sensível a toques. O touchpad geralmente é acompanhado de botões que possuem as mesmas funções das teclas de um mouse comum. No entanto, o utilizador também pode simular cliques do mouse pressionando o dedo rapidamente sobre o painel. Outra opção é o Pointing Stick, um pequeno botão que fica entre as teclas do notebook e que possui uma flexibilidade que permite a movimentação do cursor de acordo com a pressão que o usuário aplica por meio de seu dedo (este tipo é mais difícil de ser encontrado). A escolha do melhor dispositivo é complicada, pois se trata essencialmente de uma questão de afinidade. Assim, é melhor testar cada opção antes de efetuar a compra do notebook.

Touchpad
Touchpad

Se preferir, você pode utilizar um mouse comum ou, para facilitar o transporte, um mini-mouse USB:

Mini-mouse

9 – Conectividade

Em qualquer computador é essencial ter portas USB. Em notebooks, o mínimo necessário são duas portas (para conectar impressoras, câmeras digitais, MP3-players, mouses, etc), mas o ideal são três. Alguns modelos oferecem portas FireWire (IEEE 1394) e leitor de cartões Flash. O FireWire é pouco usado, por isso, é importante tê-lo apenas se você utiliza alguma aplicação que faz uso dessa porta. Há também notebooks que contam com porta infravermelho para comunicação com outros dispositivos, porém esse recurso tende a não ser mais usado, já que há alternativas melhores, como as conexões Bluetooth. Também é essencial contar com Wi-Fi, afinal, é cada vez mais comum encontrar redes sem fio disponíveis em lugares públicos, como shoppings, aeroportos, restaurantes, hotéis e até mesmo ônibus. Felizmente, praticamente todos os notebooks atuais oferecem essa tecnologia.

Embora não essencial, também vale a pena contar com uma porta HDMI. Ela permite, por exemplo, exibir imagens de alta definição do notebook para um televisor LCD ou para um projetor.

10 – Marca

Os principais fabricantes de computadores oferecem modelos bastante interessantes de notebooks. Entre eles, tem-se: HP, Lenovo, Dell, Toshiba, Asus, Sony, Apple e Acer. Estas empresas geralmente oferecem notebooks com recursos bastante satisfatórios, mas sempre há exceções, por isso, alguns cuidados são necessários: verifique se a marca desejada possui uma ampla rede de assistência técnica; constate se ela fornece suporte (por e-mail ou telefone); confira o prazo de garantia – embora a legislação brasileira exija garantia de, no mínimo, 3 meses, não adquira notebooks que tenham esse prazo menor que 1 ano; verifique se o equipamento de seu interesse não possui uma tecnologia obsoleta (tela de matriz passiva, por exemplo); pergunte em fóruns de discussão se o modelo de seu interesse é confiável ou faça pesquisas na internet para encontrar opiniões.

Finalizando

As dicas acima mencionaram item por item, o que dá a entender que o usuário pode escolher a configuração que quiser, mas não é bem assim. Ao contrário dos desktops, onde pode-se comprar as peças e depois montar a máquina, um notebook geralmente vem fechado e com uma configuração definida pelo fabricante (embora a grande maioria permita upgrades de memória e HD, por exemplo). A ideia das dicas é fazer com que o usuário saiba quais itens analisar durante a compra. Por isso, é essencial avaliar para quais aplicações o notebook será empregado, pois assim você saberá reconhecer as características de maior ou menor importância.

Dell Alienware: notebook para jogos pesados. Sim, existe notebook até para isso!
Dell Alienware: notebook para jogos pesados. Sim, existe notebook até para isso!

————–

Mesmo alguém que esteja bem familiarizado com todos os componentes e termos usados com relação aos micros de mesa pode se perder facilmente ao procurar informações sobre notebooks. Apesar dos componentes: processador, memória, HD, etc. serem essencialmente os mesmos, a necessidade de miniaturizar tudo deu origem a uma enorme safra de componentes e padrões que são encontrados apenas em notebooks. A idéia deste artigo é introduzi-lo a este admirável mundo novo.

Aspecto

Começando pelo aspecto externo, os notebooks se dividem em ultraportáteis, tudo em um e substitutos de desktops.

Os ultraportáteis são os aparelhos menores, mais finos e leves. São os mais fáceis de carregar, e encontram-se numa faixa de preço entre 3 e 6 mil reais. Em geral estes notebooks tem telas menores, de 11 ou 12 polegadas e muitas vezes vem sem CD-ROM ou drive de disquetes, que podem ser acoplados através de uma porta PCMCIA, USB ou de uma dock station. Em alguns casos existe apenas um encaixe, que pode acomodar ou o CD ou o drive de disquetes, um de cada vez. Os ultraportáteis pesam sempre abaixo de 2,5 KG. Alguns modelos chegam a pesar menos de 2 KG.

Os modelos tudo em um são modelos maiores, que vem com telas maiores, sempre acima de 13 polegadas, e possuem tanto CD-ROM quanto drive de disquete internos. Alguns permitem substituir o CD-ROM por um segundo HD ou uma segunda bateria. Ao contrário da maioria dos ultraportáteis, o teclado tem teclas com o mesmo tamanho e espaçamento de um teclado normal, com ausência apenas do teclado numérico, o que torna a digitação mais confortável. Os tudo em um custam apartir de 3.500 reais, dependendo da configuração.

Os substitutos de desktops por sua vez são os aparelhos maiores, em geral pesando perto de quatro quilos. Estes vem com telas de 14 ou até 15 polegadas (um monitor LCD de 15 polegadas tem uma área útil próxima ao de um monitor comum de 17 polegadas), vem com HDs maiores e no mínimo 128 MB de RAM. Quase sempre trazem também um chipset de vídeo 3D, DVD e um processador de 600 MHz ou mais. Como o apelido sugere, são os notebooks que mais de aproximam do conforto e recursos de um micro de mesa, porém em compensação são os mais caros, em geral apartir de 5000 reais e também são os com menor autonomia de bateria, apenas 2 ou 2:30 horas na maioria dos modelos.

Expansão

Seria complicado demais incluir slots PCI ou ISA num notebook, por isso os modems, placas de rede, e outros dispositivos vem na forma de placas PCMCIA, cartões do tamanho de um cartão bancário. Existem 3 tipos de placas PCMCIA, tipo 1, 2 e 3. As placas tipo 2 são as mais comuns, tem 5 mm de espessura. Normalmente os notebooks vem com encaixes para duas placas tipo 2, alguns poucos vem com 4 encaixes.

As placas tipo 3 são bem mais grossas, com 10.5 mm de espessura. Estas são encaixadas nos mesmos encaixes para placas tipo 2, porém ocupam o espaço dos dois encaixes.

As placas tipo 1 por sua vez são bem mais finas, apenas 3.3 mm, mas também são instaladas nos mesmos encaixes utilizados pelos outros dois padrões.

As placas PCMCIA são bastante práticas, podem ser instaladas e desinstaladas até mesmo com o aparelho ligado, porém são bem caras em comparação com os mesmos componentes para micros de mesa.

Outro meio de expansão são as placas mini PCI, que são placas miniaturizadas, embutidas no interior do aparelho. Em geral estas placas mini PCI trazem modem e som, mas podem ser substituídas, ou em caso de defeito ou por componentes superiores. Porém as placas mini PCI não são tão comuns de se encontrar.

Portas

Normalmente os notebooks vem apenas com uma porta serial, porta paralela, PS/2 e USB. Porém, caso você precise de mais portas, uma segunda porta serial, um conector para teclado, ou mesmo de mais portas USB, poderá utilizar um replicador de portas. Existem vários modelos, em geral os fabricantes oferecem um modelo de replicador diferente como acessório para cada modelo de notebook disponível. O preço varia muito, de 200 a 500 dólares, dependendo do fabricante e modelo. Existem também replicadores na forma de cartões PCMCIA que podem ser instalados em qualquer note. Estes custam apartir de 200 dólares.

Uma terceira opção é comprar logo uma dock station, uma espécie de base, que acoplada ao note permite adicionar vários periféricos, CD-ROMs, HDs, placas de rede, novas portas seriais, USB, etc. Estas são a solução mais completa, porém também a mais cara.

Placas 3D

Não da para colocar uma GeForce Ultra de 64 MB num notebook, não apenas pelo tamanho dos componentes, mas principalmente pelo consumo elétrico da placa, dado crítico quando falamos de portáteis. Porém, existem no mercado algumas soluções de vídeo 3D para notebooks, versões simplificadas das placas que temos nos micros de mesa.

Em termos de desempenho, o vencedor é o GeForce 2 Go da Nvidia, uma versão mobile do GeForce 2 MX. Na mesma linha estão os chips Rage Mobility,

versões do Rage 128 da ATI, Trident Blade, Savage MX e Lynx (da Silicon Motion). Todos estes chipsets consomem em torno de 2 watts de eletricidade, apesar da diferença de desempenho entre eles.

O grande problema dos notebooks é a memória de vídeo, que são o componente que mais consome energia numa placa 3D topo de linha. As soluções usadas nos notebooks variam entre usar apenas 4 MB de memória de vídeo, ou utilizar memória compartilhada, ou seja usar parte da memória RAM do sistema como memória de vídeo, como nas placas com vídeo onboard. Ambas as soluções apresentam um desempenho bastante fraco, o que faz com que mesmo um chipset 3D rápido, como o GeForce 2 Go acabe apresentando um desempenho muito ruim, próximo do apresentado pelos chipsets mais simples. Definitivamente os notebooks ainda estão muito longe de servir como uma plataforma de jogos.

Dual View

Este é um recurso encontrado em quase todos os notebooks, que permite acoplar um monitor externo na saída VGA encontrado na traseira do aparelho. Este monitor pode tanto ser usado como um espelho da tela do note, útil em apresentações, quanto como um substituto, permitindo neste caso resoluções de tela mais altas do que as permitidas pela tela de LCD. Alguns aparelhos permitem usar o monitor externo como segundo monitor, assim como podemos usar dois monitores num micro de mesa.

Mouse

Existem três tipos de mouses para notebook, os trackball, trackpoint e touchpad. Os trackball são mais encontrados em modelos antigos, onde o movimento do mouse é controlado por uma esfera, no touchpad a esfera é substituída por um pequeno retângulo sensível ao toque, mais sensível porém mais caro. O trackpoint por sua vez é um pininho que fica entre as teclas G, H e B do teclado, é usado geralmente nos notes mais compactos, já que praticamente não ocupa espaço.

Entre os três, os touchpad são os preferidos pela maioria dos usuários, mas de qualquer forma um mouse externo será sempre muito mais confortável quando você estiver usando o aparelho sobre uma mesa.